quinta-feira, 8 de maio de 2008

NÃO DÁ MAIS PARA ERRAR


Hoje é dia de falar do novo técnico do Goiás, Oswaldo Fumeiro Alvarez. Mais conhecido como Vadão, ele chega com expectativas bem menores que as da época de Caio Júnior, mas com números bem mais animadores em seu currículo. Além dos cinco títulos acumulados [Campeonato Paulista (2ª divisão) pelo Mogi-Mirim, em 1993; Campeonato Brasileiro (3ª divisão) pelo Guarani, em1995; Campeonato Paranaense pelo Atlético Paranaense, em 2000; Torneio Rio - São Paulo, pelo São Paulo, em 2001], ele ainda teve a competência (ou sorte?) de lançar ao mundo Káká e Rivaldo, na época, jovens em quem Vadão apostou para se consagrar.

E se um raio cai duas vezes no mesmo lugar, porque não poderia cair três? Apesar de não acompanhar as categorias de base do time esmeraldino, acredito no surgimento de novos Fenandões. E a ocasião nunca esteve tão propícia a isso. Além do perfil “caça talentos” de Vadão, o time está frágil e sem a esperança (e/ou dinheiro) de contratações milagrosas. Estratégia perigosa? Sem dúvida! Afinal, 2008 para o Goiás, deve, quase que obrigatoriamente, ser um ano de acertos, e não mais tentativas. Mas como Wanderlei Luxemburgo é só um, não resta outra opção, senão arriscar.

O último que apostou em Vadão foi o Vitória da Bahia. Campanha irregular, não. Ruim mesmo! Em 24 jogos, ele conseguiu 14 vitórias, 3 empates, e o extraordinário número de 11 derrotas. Extraordinário porque o time que tinha em mãos era bom. Não por acaso se consagrou campeão baiano. Mas a fama é de que o técnico é “paneleiro”. E o feitiço pode ter simplesmente virado contra o feiticeiro.

Em outros carnavais, bem maiores que o da Bahia, ele se deu bem. No Corinthians, em 2000, fez bonito. No São Paulo, em 2001 e 2002, fez melhor ainda. Conquistou o Rio-São Paulo no primeiro ano, e se não fosse o Santos de Diego e Robinho, certamente teria levado o título brasileiro no ano seguinte. Em times menores também mostrou certo potencial. Que o digam Mogi Mirim e XV de Piracicaba.

Independente das campanhas, algo complicado de se analisar devido à dinamicidade das equipes e do futebol em si, uma coisa é certa, mais estrela e sorte que o último técnico esmeraldino ele tem. Afinal, futebol é título, e isso ele já conseguiu; e pelo chocolate que o Flamengo levou ontem, se desclassificando de forma grotesca da tão sonhada Taça Libertadores, ficou provado que na hora h, não há ninguém mais azarento que o pobre Caio Júnior, que não precisou nem assumir, pra já derrubar o time.


8 comentários:

Larissa Rodrigues disse...

É! O nome me é estranho! Tudo bem que não sou uma especialista no assunto, mas como se afirma, ( ou ao menos como se sonha)todo brasileiro sabe um pouquinho de futebol. E no meu pouquinho não exixtia nenhuma referência de Vadão. No entanto, do jeito que anda as coisas, quem sabe ele tenha um santo milagreiro ao seu lado! Porque pra fazer alguma coisa nesse time do Goías, só com milagre, sorte e bons muleques nas categorias de base!

Parabéns pelo texto!

Thaís Franco disse...

Antes de comentar sobre o texto, gostaria apenas de comentar aqui... inclusive para a 'comentarista' acima que o jogador com mais gols marcados na historia do brasileirão em era de ponto corrido é nada mais nada menos que um esmeraldino!!!
Baier!!!
Acho que elenco o Goiás tem! Só precisa de alguém bom pra dirigir o espetáculo!!!
Afinal...série "A" é série "A", não é B...mt menos C !!!!

Vinícius disse...

é... e depois que Cai o Júnior e espero de coração que o Vadão levante o Verdão... apesar de ter a certeza que o goiás no máximo vai brigar por uma vaguinha na Sul Americana (que só vale a pena por causa da grana), vamos torcer para que o Goiás não consiga a tão sonhada vaga na Segundona.

beijos monara
Parabéns pelo trabalho tanto no TBC esporte como no blog
sou seu fã!

Marcelo disse...

É... pelo menos títulos o Vadão tem, mas se a diretoria não contratar pelo menos mais 5 jogadores para serem titulares nem o Luxemburgo conseguiria fazer do verdão um time competitivo para esse campeonato brasileiro.

abraço monara!

Fernando disse...

"NÃO DÁ MAIS PARA ERRAR"
acho que vc disse tudo... nós esmeraldinos estamos cansados de apenas participar de campeonatos brasileiros e todo fim de ano ficar escutando os dirigentes dizendo que no próximo ano o Goiás irá brigar pelo título nacional. Chega de papo furado né!?

abraços.

Paulo Henrique disse...

Oi monara! tudo bem? primeiramente quero te parabenizar pelo excelente trabalho que vc vem fazendo, vc é realmente uma grande revelação do jornalismo esportivo. PARABÉNS!!! Eu como bom vilanovense que sou posso dizer que o time do Goiás tinha que ter descido para a Segunda divisão a muito tempo. Não conseguem ganhar nem o goianão e ficam tirando onda de time grande. Tenha a santa paciência!!!
e viva o TIGRÃO!! Beijos Monara!

Vitor HUgo disse...

PIPOQUEIROS!!!
o Goiás é time de PIPOQUEIROS...
era só oq faltava mesmo, trazer um paneleiro para estorar a pipoca!!!
mais um ano de sofrimento...

idmrb disse...

Ah! Esse Vadão pra mim é igual ao Joel Santana: ou vai na sorte ou no azar! O Mogi-mirim que ele pegou tinha Rivaldo e Válber tinindo no meio e o Leto no ataque. Foi a sorte dele.

Agora no Goiás ele tem quem? O báia? Tssssss....

Ah, sobre o "QUEM SOU EU: Monara Marques - Profissão: repórter e apresentadora do TBC Esporte. Paixão: futebol Hobby: opinar Frase: A roda foi o maior invento da pré-história. A bola foi o maior invento de todos os tempos"!

Não sabia que tava na ativa assim não. Massa demais! Parabéns!

Igor